terça-feira, 16 de julho de 2013

QUASE NADA, poema de Eugénio de Andrade

Pintura de Salvador Dalí


















Passo e amo e ardo.
Água? Brisa? Luz?
Não sei. E tenho pressa:
levo comigo uma criança
que nunca viu o mar.

In «Coração habitado» (poesia), de Eugénio de Andrade (com um desenho de José Rodrigues), colecção «Pequeno Formato» (n.º 4), Edições ASA, Porto, Abril de 2002 (3.ª edição, aumentada).

Sem comentários:

Enviar um comentário