quarta-feira, 24 de julho de 2013

O cronista Fernão Lopes lembrado por Miguel Torga

Imagem retirada de www.passeiweb.com
Quanto a Fernão Lopes, a visão virginal e concreta que testemunha – História que dum passo se emancipa da pletora dos cronicões e enche as veias dum sangue que deixou de ser apenas azul –, permitirá a floração extraordinária de toda a prosa da expansão ultramarina. Notação precisa da realidade, sem medo das palavras e da nudez dos factos, abre uma clareira de luz na cerração compacta da rememoração cortesã. Aparece a liberdade crítica embutida na coragem da expressão. O povo actua finalmente ao lado dos heróis oficiais. Na cena dos acontecimentos passam a caber todos os figurantes.

In «Traço de União – Temas portugueses e brasileiros», de Miguel Torga, Coimbra, 1969 (2.ª edição revista) – Excerto de «Panorama da Literatura Portuguesa», conferência realizada na Faculdade de Filosofia do Rio de Janeiro, em 17 de Agosto de 1954.

Sem comentários:

Enviar um comentário