quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

[Único lugar real de emigração], poema de João José Cochofel

Pintura de Claude Monet – Imagem retirada de http://jenniferlynking.blogspot.pt/

Único lugar real de emigração,
aqui te reencontro livre,
meu velho parque deserto
que só as estátuas habitam.
Brincam para ti as crianças,
amam para ti os pares de namorados,
viajam para ti os turistas,
e de te pensarem existes,
pérola de solidão,
árvores, pedra, barcos, risos,
e esse ar de imutável nativa presença
que é feito de quanto para ti
Debussy, Monet, Verlaine
compuseram, pintaram, escreveram.

In «Obra Poética» [«Emigrante Clandestino», 1965], de João José Cochofel, colecção «Obras Completas», Editorial Caminho, Lisboa, Dezembro de 1988 (1.ª edição).

Sem comentários:

Enviar um comentário