sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

«Só o coração vai ao leme», poema de João José Cochofel

Foto retirada de http://www.pavconhecimento.pt/

Só o coração vai ao leme
nas águas frias das minhas mágoas.
Só ele não teme
os remoinhos dessas águas.

– Olha! Se perguntarem por mim,
diz que não estou.
Fui de viagem,
a triste viagem em que triste vou.

Perdi quanto era ainda
o leite branco da infância.
Vou de largada,
eu com a minha ânsia.

In «Obra Poética» [«Os Dias Íntimos», 1944-1958], de João José Cochofel, colecção «Obras Completas», Editorial Caminho, Lisboa, Dezembro de 1988 (1.ª edição)

Sem comentários:

Enviar um comentário