quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Poema «LII» de SONÂMBULO (1941-1942-1943), de José Gomes Ferreira

                                                   
«The Connivance / La Connivence», de René Magritte (1965) 
(Imagem encontrada em http://www.wikiart.org/)


(Cortado durante o Fascismo, pela Censura
na revista «Vértice» de Coimbra.)

Inútil como a imaginação duma bofetada no sol!
Inútil como lágrimas da chuva nas vidraças da ira!
Inútil como atirar peixes para o céu!
Inútil como insultar o silêncio da lua!
Inútil como punhos cerrados a estrangularem espectros na algibeira!

Inútil, inútil, inútil, inútil.
Nada torna esta cólera eterna!

E amanhã vou acordar de novo adormecido
como um chicote enrolado.

In «Poeta militante – Viagem do Século Vinte em mim» (1.º volume), obra poética completa de José Gomes Ferreira, colecção «Círculo de Poesia», Moraes Editores, Lisboa, Outubro de 1977 (1.ª edição).

Sem comentários:

Enviar um comentário