terça-feira, 13 de janeiro de 2015

A relação entre o espaço e o tempo

Imagem encontrada em https://livingurbanism.wordpress.com
Numa estratégia adequada para gerir bem o tempo é fundamental perceber a importância da relação entre o espaço e o tempo. Tem muito mais importância de que parece, porque quando não há espaço muitas vezes também não há tempo.
É bem difícil para quem não tem um mínimo de espaço conseguir ter tempo. E hoje isso agravou-se: por um lado, vive-se o paradigma dominante do indivíduo acima de tudo, por outro lado, demos cabo do privado ou do espaço privado, que é uma coisa importante para se poder perceber o que é o “seu” tempo, porque cada pessoa tem o seu tempo e ritmo próprio.
O famoso open-space no mundo do trabalho é algo a que me oponho e que me incomoda bastante. Até os duches das escolas são em open-space! Está na moda, ninguém põe isso em questão, mas é uma boa maneira de dar cabo do tempo. É um supercontrolo, mais ou menos estilo Big Brother, em que as pessoas não sabem nem podem gerir o seu tempo, porque são continuamente controladas umas pelas outras. Poupou-se no espaço e deu-se cabo do tempo de cada um, feriu-se a relação de cada um consigo mesmo.
Mudou o paradigma e nós perdemos a atenção ao privado. E o privado não se opõe à comunidade, opõe-se ao comunitarismo e a estas formas de controlo; opõe-se a tudo aquilo que nos despersonaliza, porque nós precisamos de um espaço privado para sermos gente e termos um tempo de qualidade.

In «Só avança quem descansa – A sabedoria do tempo», de Vasco Pinto de Magalhães, s. j., Edições Tenacitas, Coimbra, Outubro de 2014 (4.ª edição).

Sem comentários:

Enviar um comentário