sábado, 1 de março de 2014

[Alaúdes, perfumes e taças], ruba’i de Omar Khayyam

Imagem encontrada em http://literaturapersa.blogspot.pt/

Alaúdes, perfumes e taças,
lábios, cabeleiras e olhos profundos –
brinquedos que o Tempo destrói, brinquedos!
Austeridade, solidão e trabalho,
meditação, prece e renúncia –
cinzas que o Tempo esmaga, cinzas!

In «Rubaiyat – Odes ao vinho», de Omar Khayyam (com prefácio de E. M. de Melo e Castro e tradução de Fernando Castro), colecção «Clássicos de Bolso» (n.º 62), Editorial Estampa, Junho de 1999 (3.ª edição).

Sem comentários:

Enviar um comentário