segunda-feira, 17 de março de 2014

[os espelhos mudos estão embaciados], excerto poético de maria toscano

Anel de espelhos proposto por Arnaud Lapierre, na Place Vendôme, em Paris

já vejo, enfim, pois os espelhos mudos estão embaciados
(para isso se inventaram e desembaciámos os espelhos)
já vejo. urge-me o olhar. ergo-me a olhar de frente.
já herdo. por mãos de ofício, herdo a poderosa terra,
a rude côdea amassada por mãos de ofício lavrada
nessa laboriosa arte do desgoverno da carne
por mãos de oferecimento no ofício do momento
já herdo a carne mestiça.

In «a artesã do desengano», de maria toscano, Pé de Página Editores, Coimbra, Novembro de 2003 (1.ª edição).

Sem comentários:

Enviar um comentário