segunda-feira, 16 de novembro de 2015

MAR DE FERNANDO PESSOA, poema de Cyro de Mattos (para Graça Capinha)

Imagem encontrada em http://ecosurf.org.br/
Daqui este mar
estende-me ilhas
dos que quiserem
sonho e caverna
a subir das espumas
o momento de sabê-lo.

Daqui este mar
define-me anseios
à sombra de uma nau
mais antiga com ventos
vagando na areia
de onde venho e vou.

Daqui este mar
que lugar remoto
está perto dele
Deus a não querer
aos que pagaram
um preço pela vida
que o sono vencesse.

Daqui este mar
o riso das gaivotas
perfurava o peito.
A língua ferida
na fome da fama,
valeu a pena
pisar a terra rica?

Daqui este mar
fado vazando veia
de repente a Pátria
molhadas as tristezas
do azul mais profundo
a terra inteira visse.

In «Brasil 2000 - Antologia de Poesia Contemporânea Brasileira», organizada por Álvaro Alves de Faria, Alma Azul, Coimbra-Castelo Branco, Outubro de 2000 (1.ª edição).

Sem comentários:

Enviar um comentário