quinta-feira, 1 de setembro de 2016

AS IMPENSÁVEIS PORTAS DA ILUSÃO, poema de Ana Hatherly

Imagem encontrada em http://www.lanchaarare.com/

O que é que leva o meu barco
para esta praia
onde um poder esquivo
se contenta
com a ambígua oferta de palavras?

Estamos aqui
no exíguo barco do desejo
exibidos
na frágil singularidade do verbo

Insatisfeitos sempre
aguardamos
que se abram
as impensáveis portas da ilusão

In «O Pavão Negro», poesia de Ana Hatherly (com prefácio de Ana Hatherly e Paulo Cunha e Silva), colecção «Poesia Inédita Portuguesa», Assírio & Alvim, Lisboa, Abril de 2003 (1.ª edição).

Sem comentários:

Enviar um comentário