sexta-feira, 9 de setembro de 2016

MAR, poema de Carlos de Oliveira

Imagem encontrada em http://nalpontes2.blogspot.pt/

Concha
escondida
entre os lírios da espuma
violada
como as portas da vida
que se cobrem
dos «roxos lírios»
do amor,
coalhaste
a praia solitária
de pérolas
e sal.

In «Trabalho Poético», de Carlos de Oliveira, Livraria Sá da Costa Editora, Lisboa, 1998 (3.ª edição).

Sem comentários:

Enviar um comentário