quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

BOAS FESTAS! E poema «Natal», de Miguel Torga

A editora Mar da Palavra deseja – a todos os amigos, autores e leitores (incluindo professores e alunos, escolas, bibliotecas e bibliotecários), colaboradores e livreiros, jornalistas e representantes de órgãos da Comunicação Social – umas BOAS FESTAS e um novo ano que corresponda, no mínimo, às expectativas individuais e colectivas.






NATAL

Velho Menino-Deus que me vens ver

Quando o ano passou e as dores passaram:
Sim, pedi-te o brinquedo, e queria-o ter,
Mas quando as minhas dores o desejaram...

Agora, outras quimeras me tentaram

Em reinos onde tu não tens poder...
Outras mãos mentirosas me acenaram
A chamar, a mostrar e a prometer...

Vem, apesar de tudo, se queres vir.

Vem com neve nos ombros, a sorrir
A quem nunca doiraste a solidão...

Mas o brinquedo... quebra-o no caminho.

O que eu chorei por ele! Era de arminho
E batia-lhe dentro um coração...

Coimbra, 24 de Dezembro de 1942, in «Diário II» (quarta edição), de Miguel Torga

Sem comentários:

Enviar um comentário