segunda-feira, 20 de abril de 2015

AS PARALELAS ASSIMÉTRICAS, ficção (contos) de Lina Céu


Um prefácio, como palavras prévias de uma obra literária, não deve ter funções críticas ou interpretativas e, muito menos, de orientação a quem se propõe saborear um livro em momentos de entrega e apaziguamento.
Por isso, esta nota introdutória serve apenas de apresentação à segunda colectânea de contos de Lina Céu, ou melhor de narrativas, já que, à semelhança do primeiro volume – «Histórias de Cá e de Lá» –, não tendo a estrutura do conto, tal como a concebemos, nos mostra aspectos descritivos de acontecimentos e vivências no tom coloquial de um informal diálogo com o leitor.
Não sendo uma obra para ser lida em momentos lúdicos de passar o tempo, ela leva-nos por caminhos em que o pensamento emerge da rotineira letargia e vai até onde a razão nos concede o engenho do sonho e da evasão.
Dúvidas psicológicas, enredando-nos numa tela policromática (ou não fosse Lina Céu uma pintora), conduzem-nos pelos sinuosos artifícios do inexplicável e da ideação subjacente à descoberta do destino, do acaso ou das soluções mais metafísicas, porventura sobrenaturais.
O leitor é colocado pela autora na posição de quem tenta descodificar e resolver os temas oferecidos por Lina Céu, nas dúvidas e sortilégios que nos propõe. Como uma teia envolvendo o esotérico mundo da imaginação e da autobiografia, os exercícios ficcionistas de avanços e retrocessos desta obra tornam-na numa assimétrica intimidade no mundo que nos rodeia e onde vivemos.
Lina Céu, ao contrário de quase todos os ficcionistas que procuram na poesia o êxtase dos seus problemas mais existenciais, alimenta  esses problemas com a prosa de um modo tão subtil como inconformista.
A autora, com este livro, procura no leitor um cúmplice para as suas próprias congeminações. E consegue-o com a arte que lhe conhecemos nas obras que, entretanto, vai colocando à nossa disposição.

Joaquim Manuel Pinto Serra
(médico psiquiatra e escritor)   
...................................

AUTORA:
Lina Céu Brito Canhão Martins de Carvalho viveu a infância e juventude em Algés (concelho de Oeiras) e reside em Coimbra. Licenciada em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, fez carreira como professora do ensino secundário no Porto e em Coimbra. Frequentou cursos em universidades do Reino Unido e da Alemanha, como bolseira do Instituto Alemão e da Fundação Calouste Gulbenkian, onde também trabalhou como revisora de traduções.
Publicou poemas na rubrica de imprensa Antologia de Revelações, dirigida pelo crítico literário João Gaspar Simões. Obteve prémios literários e publicou sonetos e demais em vários periódicos.
É membro da Associação Portuguesa de Poetas (APP), da Sociedade de Língua Portuguesa (SLP) e também sócia efectiva da Associação Portuguesa de Escritores (APE).
Depois das obras Terra Rasgada (poesia, em 2008), Histórias de Cá e de Lá (contos, em 2010), A Raiz e o Fruto – Sessenta sonetos em dois andamentos com pausa (poesia, em 2012), As Árvores Nuas (poesia, em 2013, com a chancela da Mar da Palavra), As Paralelas Assimétricas (contos) é o quinto livro da autora, novamente publicado pela editora Mar da Palavra.
...................................

FICHA TÉCNICA
Autor: Lina Céu (com prefácio de Joaquim Manuel Pinto Serra)
Capa: Reprodução de pintura de Lina Céu
Editora: Mar da Palavra - Edições, L.da
PVP: 16,96 €
N.º de páginas: 152
Formato: 14,7 x 21,0 cm
ISBN: 972-8910-69-3 (EAN: 978-972-8910-69-3)

Sem comentários:

Enviar um comentário